terça-feira, 29 de setembro de 2015

Finalmente Eu Li: Eu, Alex Cross

Após a leitura de 'O Dia da Caça' e vários dias levando na bolsa para todos os lugares o segundo volume  publicado pela editora Arqueiro da série Alex Cross, eu finalmente li "Eu, Alex Cross."

O engraçado que no decorrer da história (na página 65) o detetive pensa a seguinte frase: "Eu meio que esperava que ele começasse a citar Martin Luther King: Enfim livre, enfim livre... Ou talvez uma frase de Morgan Freeman no filme Antes de Partir." o engraçado de é que o ator Morgan Freeman interpreta o detetive Alex Cross nos filmes Beijos que Matam e Na Teia da Aranha.

Numa noite de festa, o detetive está comemorando seu aniversário quando atende a um telefonema informando que sua sobrinha, Caroline Cross, foi brutalmente assassinada. Ele jura que vai capturar o criminoso e logo descobre que Caroline estava envolvida com prostituição e não foi a única vítima.
Atrás de pistas do assassino, Alex e a namorada, a detetive Brianna Stone, vão a um lugar onde é possível realizar qualquer fantasia, desde que se conheçam as pessoas certas para entrar. É lá que um homem misterioso e de gosto excêntrico, autodenominado Zeus, sacia seus desejos.
Alex e Bree percebem que terão que enfrentar figuras muito importantes, perigosas e bem protegidas, das mais altas esferas da sociedade. E uma coisa é certa: elas farão de tudo para manter seus segredos.


Mais uma investigação intensa e instigante. Mas ainda não me surpreendeu e me fez surtar pelos acontecimentos. Estou achando que o meu problema é com a narrativa do autor. Mas eu não desisto por isso minha próxima leitura será Fogo Cruzado o próximo volume da série, também publicado pela editora Arqueiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário