quarta-feira, 19 de agosto de 2015

Gênesis - Resenha

Gênesis
 Na ocasião em que a Terra foi assada pela Peste, os sobreviventes reuniram-se em uma nova sociedade. Separados do mundo exterior por uma cerca em pleno oceano, vivem em absoluto isolamento - aviões que se aproximam são abatidos; refugiados, executados. Até que um soldado escolhe romper com as regras e, em vez de disparar, resgata das águas uma menina. Seu nome é Adam Forde. Ele muda para sempre o curso da história.
Numa sala com pouca luz uma jovem sentada diante de três Examinadores para uma exaustiva prova. Se aprovada, ela será admitida na Academia - a instituição de elite que governa aquela sociedade utópica. Porém, a jovem Anaximandra, está prestes a descobrir que nem tudo consta nos registros acadêmicos. Há fatos, imagens, arquivos a que nem todos têm acesso.
Eu esperava que a história abordasse de fato a vida de Adam Forde. Que nós conhecíamos mais a fundo o personagem que a sinopse nos trás com tanta tensão, no entanto nós vemos uma jovem em uma sala junto há três examinadores para uma entrevista da Acadêmia.

Mas quem é a Acadêmia? Quem é essa jovem? Quem é seu tutor? Por que motivos ela tem de fazer essa entrevista? Que mundo eles vivem? Por que viver numa ilha cercados por uma barreira?

Toda a história se passa em uma sala onde alguns poucos conhecimentos e descobertas do mundo atual abordado no livro adquirimos através de respostas dada pela jovem Anaximandra, mas de fato não sabemos de nada. Não vimos nada acontecer, não tivemos tempo de nos adequar a esse novo mundo e nem temos ideia do que acontece e de como proceder.

Tudo não passa de uma conversa que dura quatro horas com alguns pequenos intervalos para dar "tempo" a nossa protagonista ('Quem deveria ser o protagonista dessa história?'). No primeiro intervalo no qual aparece um figurante eu esperava que houvesse algo há mais, que acontecesse algo, mas não teve nada.

Uma leitura rápida e leve, mas não me deu aquela vontade alucinante de amar a história. Em uma espécie de flash-backs (hologramas) conhecemos o objeto de estudo Adam Forde, mas não sabemos o que de fato se passa em sua cabeça e o motivo dele ter feito tais coisas para acabar sendo julgado do modo que foi.

Uma leitura realmente impressionante, nos trazendo um pouco mais sobre a filosofia humana e o modo de pensar, de agir e de sentir. Um final surpreendente e nada esperado que me deixou muito chateada após fechar o livro. Mas ainda assim não o acho espetacular e merecedor de tantas estrelas, dei somente três, pois realmente acho que o livro deixou a desejar em muitos aspectos.






Nenhum comentário:

Postar um comentário