segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Eu Li: Grey


Grey - Na voz de Christian, e através de seus pensamentos, reflexões e sonhos, E L James oferece uma nova perspectiva da história de amor que dominou milhares de leitores ao redor do mundo.Christian Grey controla tudo e todos a seu redor: seu mundo é organizado, disciplinado e terrivelmente vazio – até o dia em que Anastasia Steele surge em seu escritório, uma armadilha de pernas torneadas e longos cabelos castanhos. Christian tenta esquecê-la, mas em vez disso acaba envolvido num turbilhão de emoções que não compreende e às quais não consegue resistir. Diferentemente de qualquer mulher que ele já conheceu, a tímida e quieta Ana parece enxergar através de Christian – além do empresário extremamente bem-sucedido, de estilo de vida sofisticado, até o homem de coração frio e ferido.Será que, com Ana, Christian conseguirá dissipar os horrores de sua infância que o assombram todas as noites? Ou seus desejos sexuais obscuros, sua compulsão por controle e a profunda aversão que sente por si mesmo vão afastar a garota e destruir a frágil esperança que ela lhe oferece?
Eu realmente não estava tão interessada em ler este. Mas eu li pelo simples fato de amar pontos de vista masculinos.

Geralmente quando um livro trás uma narrativa feminina e logo após o/a autor(a) decide publicar uma versão da mesma história com uma narrativa masculina, o segundo livro é bem melhor. Mas por que eu acho isso? Pelo simples fato de que na primeira versão da história a personagem é muito fraca, muito chatinha, se auto sabota constantemente e nunca sabemos o que o cara esta pensando em determinado momento e a mocinha quase sempre deturpa a história.

Quando a narrativa da história que já conhecemos é masculina, parece-me que o personagem tanto é forte como ele tem uma visão fantástica de sua parceira, coisa que ela não pensa de si mesma no decorrer da história mesmo ele já tendo dado sinais de que ela não é como acha ser.

 Não lembro quantas estrelas dei para cada livro da trilogia, acredito que tenham sido três para cada, e normalmente falo que se a autora tivesse abolido uns 75% à 80% das cenas muito explicitas de sexo daria para ela fazer somente um livro (e este seria muito mais que incrível para mim), pois as histórias que se desenvolvem e se entrelaçam com a do casal principal é simplesmente alucinante.

Agora vamos ao livro Grey - Cinquenta Tons de Cinza pelos olhos de Christian, eu gostei. Fim! E acabou a história. (kkk) No decorrer do livro você consegue ver a Anastácia como uma mulher decidida e impetuosa, consegue ver o lado muito mal e o o lado muito bom e maravilhoso do Sr. Grey. Consegue ver como ele é amado por seus funcionários (Gail, Taylor e Ros principalmente), assim bem como pela sua família. Confesso que ler o ponto de vista de Christian me deu até vontade de reler a trilogia pois talvez agora eu a visse com outros olhos. E sinceramente eu recomendaria que qualquer pessoa que fosse ler 50 tons, lê-se primeiro este do que os outros.



Nenhum comentário:

Postar um comentário