postagens recentes TOPO

25 de mai de 2014

Cidades de Papel de John Green

Cidades de PapelSinopse
Quentin Jacobsen nutre uma paixão platônica pela vizinha e colega de escola Margo Roth Spiegelman desde a infância. Naquela época eles brincavam juntos e andavam de bicicleta pelo bairro, mas hoje ela é uma garota linda e popular na escola e ele é só mais um dos nerds de sua turma.
Certa noite, Margo invade a vida de Quentin pela janela de seu quarto, com a cara pintada e vestida de ninja, convocando-o a fazer parte de um engenhoso plano de vingança. E ele, é claro, aceita. Assim que a noite de aventuras acaba e um novo dia se inicia, Q vai para a escola e descobre que o paradeiro dela é agora um mistério, Quentin logo encontra pistas deixadas por ela e começa a segui-las. Impelido em direção a um caminho tortuoso, quanto mais Q se aproxima de Margo, mais se distancia da imagem da garota que ele pensava que conhecia.

Em certo momento da leitura tive de pegar meu pequeno caderno de anotações e compartilhar meus pensamentos pois este livro chega a ser enigmático (quando Q esta no encalço das pistas trágicas para encontrar Margo) de um modo que me deixou um tanto pirada e confesso que ao chegar na página 178 e ele diz "Não vou perder o fio da meada. Vou encontrar você." tive de dar uma espiada no final do livro (coisa que faço muito raramente) para poder ver alguma pista que me trouxesse calma e foco para continuar a leitura.
Quando Q. está bem próximo de encontrar Margo ele perceber que só pode encontrar ela se ele pensar como ela. Durante a formatura e a viagem de carro foi uma das partes mais hilárias da história, nunca imaginei uma minivan como uma casa, ainda mais quando ela gira várias vezes (espero que isso não tenha sido um spoiler kkk). Ao chegar no final, eu fiquei muito triste, sim aconteceu coisas esperadas, mas com certeza a conclusão não era esperada. John Green me surpreendeu ainda mais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário