terça-feira, 14 de maio de 2013

Sete Faces - Apresentação Geral

Parabéns, você é um herdeiro. Um herdeiro de muitos parentes e dono de um bem impossível de lhe ser retirado. Pode ser mesmo que você nem perceba a sua herança ou não consiga se lembrar de quando ou onde você ganhou - mas, tenha certeza, essa herança o acompanha na vida diária. Quando ouve rádio, assiste tevê, lê um gibi, conversa com um amigo ou dorme - dorme e sonha -, você está utilizando um pouco dessa herança que lhe veio através de milhares de anos. Você é o herdeiro de uma cultura que reúne tudo o que bilhões de pessoas criaram, sonharam, viveram desde que o homem saiu das cavernas.
A herança de que estamos falando não é apenas a material. Claro, essa existe e é muito importante. A nossa tecnologia é possível graças a todo o conhecimento acumulado pelo homem. Quando você liga um botão e acende a luz, você na verdade está sendo o último elo de uma cadeia que começou na descoberta do fogo, passando pela descoberta dos combustíveis, eletricidade, invenção da lâmpada. Esse gesto simples - acender a luz - fica assim sendo o herdeiro de uma série de invenções e descobertas humanas.
Só que a "lâmpada" de que estamos falando é menos visível do que aquela usada em sua casa. É a luz que está aí, dentro de você. É a herança essencial, a herança da cultura. E mais: a herança da fantasia humana.
Por mais que a gente possa pensar que a nossa imaginação é nossa, tão íntima e pessoal, ela é fruto de tudo isso: histórias ouvidas, filmes, livros, novelas de tevê... Existe esse imaginário comum a todos os povos, em todas as épocas. Quando muito, acrescenta-se um fato ou outro, mas, tantas vezes, esse imaginário permanece igual por centenas de anos...
Um exemplo: é possível que numa atual novela de tevê você veja o galã ter de se disfarçar (de mendigo, quem sabe?) para entrar numa mansão, e, depois de enfrentar a gozação de ilustres convidados de uma festa, mostrar sua real identidade e partir para a briga. A história não lhe parece conhecida, hem? Um enredo possível na novela da tevê, no livro de capa e espada, no gibi dos anos 80... Ou que pode estar, praticamente igualzinho, contado na Odisseia, uma história sobre o heroi Ulisses, de autoria do poeta grego Homero. Uma obra de mais de dois mil e quinhentos anos!
O que mudou? Talvez, na novela de tevê, a mansão tenha aparelhos eletrônicos; no livro do século XIX, haja uma mocinha romântica e frágil; no gibi, uma boa dose de violência. Mas o enredo básico permanece, através dos séculos. Desde Homero, essa história vem sendo recontada  (preferimos usar a palavra revisitada: revisitar um tema é usá-lo como ponto de partida e acrescentar elementos próprios dos autores), porque ela tem um atrativo básico, que seduzia e continua seduzindo as multidões.
Na verdade, a quantidade de histórias que resistem aos séculos é imensa. Poucas histórias seriam realmente originais. A maioria delas parte da herança comum e é revisitada com recursos próprios dos autores. Esse caminho que pretendemos seguir: oferecer "sete faces" de histórias comuns ao imaginário humano, reelaboradas pelo time de escritores reunidos pela Editora Moderna. Escritores que usaram o seu talento e expressividade para revisitar grandes temas da literatura.
Falaremos de amor, terror, amizade, ficção científica, fábulas, humor... Claro, sem esgotar os assuntos, mas mostrando sentimentos e instituições humanas, tão importantes hoje como no tempo da Bíblia. Cada volume terá sete contos, que irão aprofundar essa relação - tipos de amor, modelos de criar o riso, personagens que apavoraram gerações, fábulas que mantêm sua moral em sintonia com os dias de hoje. Histórias atuais, de leitura agradável, mas de imortal interesse do homem...
Esse é o jogo. Venha, vamos revisitar velhos amigos - e perceber como eles são jovens e simpáticos. Afinal, o homem pode visitar a Lua e, brevemente, poderá morar em outros planetas, passear pelas estrelas ou povoar um satélite nem sequer descoberto ainda. Porém o que ele sempre será é um homem. Com todos os nossos medos, angústias, alegrias e amores.
Essa é a herança. O imaginário humano. Ser um homem. Ter, dentro de nós, "todos os sonhos do mundo"...

Marcia Kupstas - Apresentação do Livros Sete Faces do Conto de Fadas

Nenhum comentário:

Postar um comentário