postagens recentes TOPO

10 de jan de 2013

#Entrevista com Tiago Toy - Autor de Terra Morta




A entrevista foi feita no seguinte esquema: enviei as perguntas para o e-mail  dele (tiago.toy@hotmail.com) e depois ele enviou as respostas para o meu e-mail.

~Oi Tiago, Fala um pouco sobre você.
Sou o autor da saga "Terra Morta", lançada pela editora Draco em dezembro de 2011. Tenho alguns contos publicados em coletâneas variadas. Apaixonado por games, cinema e música, me considero um anti-social simpático.
Amo minha família, meu "amor da minha vida para sempre", e meu notebook super-foda com tela 3D e de última geração. Ah, e meu PS3. Sou viciado em jogos! Resident Evil é meu favorito desde sempre. Travei uma batalha contra a incerteza do que fazer na vida por longos anos, até que finalmente me decidi por Game Design - e ainda estou incerto sobre. Tenho sérias dores de cabeça (que melhoraram após começar a usar óculos), ataques de egocentrismo e repulsa a máquinas fotográficas - a não ser auto-retrato.Já atuei, desenhei, dancei e cantei. Em 2009 vim à capital (São Paulo) em busca de meu destino com 50 reais e 30 miojos na mochila. Tenho cicatrizes nos pés de tanto andar atrás de trabalho no início. Treino Parkour (uma preparação para quando os zumbis vierem, nunca se sabe). Planejo me mudar para a Califórnia daqui 2 anos. Não sou do tipo patriota. Por que amar um país que me fode todo santo dia? Adoro música, filmes, sou apaixonado por séries (Game of Thrones, The Walking Dead, Elementary, American Horror Story, Supernatural), amo comer e dormir. Não me sinto a vontade em meio a barulho ou pessoas efusivas. Tenho certa dificuldade em dialogar conclusivamente... E tenho fobia a público.
~Qual seu autor(a) preferido?
Não tenho um autor favorito, alguém que eu curta todos os trabalhos. Mas tenho autores que com certeza me agradam mais, devido ao estilo narrativo ou gênero abordado. Como autor de textos puxados para o terror, seria até clichê dizer que adoro Stephen King, e gosto. Mas me amarro nas tramas de Dan Brown. Saindo da mesmice de que nossos autores favoritos precisam ser estrangeiros, admiro alguns autores nacionais que conseguem me agradar facilmente com seus textos, como Felipe Castilho, Eric Novello, Jim Anotsu, José Roberto Vieira, André Vianco. Prefiro ter livros favoritos e não me comprometer a adorar todas as obras de um mesmo autor.
~Em sua lista de leitura, qual o estilo que mais te atrai e quais são seus livros preferidos?


Ficção, acima de tudo, e, de preferência, terror. Comecei minha saga na leitura com a coleção Vaga-Lume, mas evoluí e hoje em dia tenho diversas coleções em minha estante, prontas para serem lidas. Fui grande fã de Harry Potter, Senhor dos Anéis, gostei bastante de Crepúsculo, Percy Jackson, mas meus favoritos são Celular (Stephen King), A Menina que Roubava Livros (Markus Zusak), O Baronato de Shoah (José Roberto Vieira), O Símbolo Perdido e Anjos & Demônios (Dan Brown), e Death Note. Esse último não é livro, mas é uma pu$@ leitura.
~Você gosta de algum livro que se tornou filme? 
Claro. Não sou daqueles que crucifica um filme baseado em livro antes de sair. Prefiro assistir e tirar minhas conclusões. Harry Potter e Senhor dos Anéis, sem dúvida, são os melhores. Mas, atualmente, estou totalmente viciado em Game of Thrones. Sorte ter virado série, e não apenas um filme. Aquilo é demais!
~Como e quando surgiu a ideia de escrever 'Terra Morta'?
Em meados de 2008 eu estava namorando e, por conta de imaturidade (de ambas as partes), não deu certo. Fiquei bastante abalado e encontrei na escrita um refúgio onde pudesse esquecer. E não é que funcionou? Passei a me imaginar em minha cidade (Jaboticabal) dominada por canibais infectados. Sim, pode-se dizer que era um diário fictício. Não houve um motivo exato para que eu tenha escolhido que o personagem seria meu alter ego. Nunca tive a pretensão de que Terra Morta se tornasse um livro, era apenas um hobby. Se eu podia imaginar, então me imaginaria; afinal, saberia exatamente o que o personagem faria nas situações que viriam. Isso o tornaria mais crível. Aliás, Tiago é um dos personagens mais elogiados. Sua construção sólida, seus traços de humanidade, nem somente bom nem somente mau. É exatamente o que todos somos.Essa é uma pergunta feita constantemente, e até criei um artigo em meu blog para respondê-la mais a fundo.. Quem se interessar, e tiver paciência, pode ler aquiNo blog, é possível ler alguns capítulos de graça. Abaixo do banner você clica em "Selecione um capítulo" e pode conhecer os primeiros 23 capítulos. A história do livro é praticamente a mesma, mas passou por uma bela revisão e ganhou personagens e capítulos exclusivos. De qualquer maneira, foi o blog o causador do maior sucesso de Terra Morta. Aqui você encontra o link para a Introdução.
~Como foi ter sua obra publicada?
É algo estranho de explicar. Nunca tive mesmo a pretensão de que Terra Morta virasse livro. Tá, confesso que "nunca" é demais. O certo seria dizer que não comecei a escrever com esse intuito. A ideia em ver Terra Morta como livro veio quando me dei conta do sucesso que a história estava fazendo, até que recebi o convite da editora. Até o lançamento a ansiedade predominava. E continuou após. Sou ansioso por natureza. Hoje a ansiedade é em ver Terra Morta infectando cada vez mais e mais pessoas.
~Conte-nos um pouco sobre o primeiro livro da série, 'Terra Morta: Fuga'.
"Terra Morta - Fuga" imagina a pandemia zumbi ambientada no interior de São Paulo. Na história, o leitor acompanhará uma saga de sobrevivência ao terrível mal que assolou diversas cidades e agora se dirige à capital. A trama segue o solitário e corajoso protagonista, um jovem traceur que encontra nas técnicas de parkour uma chance de sobrevivência em meio a uma cidade onde os habitantes se tornaram seres cegos de fúria e famintos por carne humana após serem infectados por uma doença altamente contagiosa. Jaboticabal, sua cidade natal, é o cenário de um terrível incidente "zumbi", uma tragédia que parece saída de um videogame ou filme de terror. Nenhum local é seguro, ninguém mais é confiável, água e comida não são mais garantidas no dia a dia. Mesmo que a mente custe a acreditar, não há tempo para duvidar da realidade. A única opção é fugir. A cada pessoa que Tiago encontra, uma surpresa. Aliado ou inimigo? Nunca uma certeza. Tiago e seus companheiros deverão enfrentar o passado e seus medos, e em meio a um mar de infectados, descobrirão que o maior inimigo ainda são os humanos.Diferente do que possa parecer, busquei aproximar Terra Morta ao máximo da realidade. Não há zumbis saindo de suas tumbas, ou agentes super-poderosos, nem um vírus mutante que veio do espaço. Tiago é um rapaz normal que vive sua vida normal e se vê em uma situação fora do normal. Ele corre de acordo com os limites humanos, não sabe dirigir, sente fome, sede, medo. Você não o verá partindo de peito aberto em direção a uma horda de infectados; pelo contrário, seu maior foco é sobreviver e, para isso, nada melhor do que se manter afastado deles. Enfrentá-los somente em último caso. Busquei explorar o desenvolvimento de pessoas normais vivendo um novo e aterrador cotidiano.
~Você disse que o segundo livro está em fase de revisão e que a data de lançamento será decidida em Janeiro de 2013. Sendo assim você pode com poucas palavras e menos spoilers possível falar sobre ele?
A sequencia de Terra Morta está praticamente pronta, mas como bom perfeccionista que sou, há sempre um ajuste de última hora. Até mesmo mudança de capítulos inteiros. Nos 15 do último tempo decidi inserir alguns novos personagens para preencher algo que faltava na história. O segundo, ainda sem subtítulo definido, começa onde o primeiro terminou e narra mais uma vez a tentativa de sobreviver em meio a um mar de canibais. Diversas questões que ficaram em aberto do primeiro serão respondidas, muitos novos personagens serão apresentados, e a sobrevivência será apenas um detalhe. O foco aqui são as relações entre pessoas de diferentes etnias, crenças e níveis sociais, todas enclausuradas em um mesmo local. Todos escondem algo que pode ou não ser relevante na decisão de seus destinos. O leitor precisará descobrir em quem confiar.
~Você quer deixar uma mensagem para os leitores?
Comprem  Terra Morta: Fuga e garantam uma chance de sobreviver. A infecção já começou a se espalhar por todo o Brasil. Sejam bem vindos à resistência!
~Contatos de Tiago Toy?
site: Blog do livro Terra Morta;
Facebook: Perfil de Tiago ToyFan Page do livro Terra Morta;

Twitter: @tiago_toy;
Email: tiago.toy@hotmail.com



Muito Obrigada pela Entrevista, Tiago!